PATRICK JACK SPENCER

Resumo

Possui graduação em Ciências Biológicas pela Universidade Presbiteriana Mackenzie (1991), mestrado em Tecnologia Nuclear pela Universidade de São Paulo (1995) e doutorado em Tecnologia Nuclear pela Universidade de São Paulo (2000) tendo sido bolsista sandwich no US Army Medical Research Institute for Infeccious Diseases (98-99). É responsável pelo Biotério de criação e manutenção de animais de laboratório do IPEN. Tem experiência na área de Bioquímica, com ênfase em Proteínas, atuando principalmente nos seguintes temas: veneno, proteínas, bothrops, irradiação e miotoxina.(Texto extraído do Currículo Lattes em 22 dez. 2021)

Projetos de Pesquisa
Unidades Organizacionais
Cargo

Resultados de Busca

Agora exibindo 1 - 3 de 3
  • Resumo IPEN-doc 27445
    Hypanus americanus mucus
    2020 - COELHO, GUILHERME R.; PREZOTTO NETO, JOSE P.; BARBOSA, FERNANDA C.; SANTOS, RAFAEL S.; BRIGATTE, PATRICIA; SPENCER, PATRICK J.; SAMPAIO, SANDRA C.; D'AMELIO, FERNANDA; PIMENTA, DANIEL C.; SCIANI, JULIANA M.
    Fish skin plays important biological roles, such as the control of the osmotic pressure gradient, protection against mechanical forces and microorganism infections. The mucus, on the other hand, is a rich and complex fluid, important for the fish acting as innate immunity system, swimming and nutrition. The elasmobranch epidermis is characterized mainly by mucus secretory cells, and marine stingrays have already been described to present secretory glands spread throughout the body. Little is known about the biochemical composition of the stingray mucus, but recent studies denoted the importance of mucus in the envenomation process. Stingrays venom are largely studied due the human medical importance of envenoming caused by sting puncture, that evolve with local inflammation and necrosis, and these toxic events can be correlated to the chemical composition of the sting skin, according to the literature. Aiming to analyse the mucus composition, a new non-invasive mucus collection method was developed that focused on peptides and proteins, and biological assays were performed to analyze preliminary toxic and immune activities of the Hypanus americanus mucus. Pathophysiological characterization showed the presence of peptidases on mucus, as well that the induction of edema and leukocyte recruitment in mice. The fractionated mucus improved phagocytosis on macrophages and showed antimicrobial activity against T. rubrum, C. neoformans and C. albicans in vitro. The proteomic analyses showed the presence of immune-related proteins like actin, histones, hemoglobin, and ribosomal proteins. This protein pattern is similar to those reported for other fish mucus and stingray venom. This is the first report depicting the Hypanus stingray mucus composition, highlighting its biochemical composition and importance for the stingray immune system and the possible role on the envenomation process.
  • Resumo IPEN-doc 26933
    Redução da atividade edematogênica promovida pelo muco da raia de água doce Paratrygon aiereba utilizando soro produzido contra o muco irradiado com raios gama de 60Co
    2016 - THOMAZI, G.O.C.; PREZOTTO NETO, J.P.; ALVES, G.J.; TURIBIO, T.O.; AIRES, R.S.; ROCHA, A.M.; SEIBERT, C.S.; SPENCER, P.J.; NASCIMENTO, N.
    Introdução: As raias são peixes peçonhentos com ampla distribuição geográfica nos principais rios brasileiros e merecem destaque por estarem frequentemente associadas a acidentes em seres humanos. Estes agravos são frequentes na região Norte do país e favorecidos pelo hábito desses peixes de permanecerem em repouso no fundo arenoso ou lamacento de águas rasas e pela frequente utilização humana dos rios, seja por lazer ou atividades ocupacionais. Os ferimentos provocados pelos ferrões das raias são dolorosos, de difícil cicatrização, causam necroses extensas e fenômenos sistêmicos. O muco que recobre toda a extensão do corpo desses peixes pode aumentar a gravidade desses ferimentos. A escassez de estudos voltados para o tratamento específico das lesões oriundas dos agravos por esses peixes, a ausência de estudos com outros gêneros de raias dulcícolas e a possibilidade de produção de soro contra o veneno de raias estimularam o desenvolvimento deste estudo utilizando a radiação ionizante que tem se mostrado vantajosa na atenuação de toxinas animais, resultando na obtenção de melhores imunógenos para a produção de soros. Objetivo: Avaliar e comparar o potencial neutralizante dos soros anti-mucoda raia Paratrygonaierebanativo ou irradiado (2 kGy-60Co) contra a ação edematogênicado muco nativo. Método: Mediante aprovação da CEUA/IPEN/SP n°126/2013 e do ICMBion.º 45407-1/2014 foi desenvolvido este trabalho. O muco (50μg/mL) de P. aierebafoi incubado em banho-maria com os soros anti-muconativo ou soro anti-mucoirradiado diluídos de 1:100 ou 1:1.000 (soros de coelhos imunizados contra o muco nativo ou irradiado por 60Co de P. aiereba). Após a incubação, as amostras foram injetadas (30μL) no coxim plantar da pata posterior de camundongos Swissmachos, 18 a 20g, (n=30). A interferência na atividade edematogênicafoi verificada nos tempos de 1h, 2h, 4h e 24h após a inoculação. Em todos os animais foi verificado o volume inicial individual de cada pata antes da injeção das amostras. Os volumes foram mensurados em pletismômetroe os resultados expressos como a variação do volume em relação ao volume basal em μL por período (ExpBioMed. 239:601, 2014). A avaliação estatística foi realizada pela análise de variância com auxílio do softwareGraphPadPrism5.0. Resultados: O muco de P. aierebafoi capaz de induzir edema de 1h a 4h após a inoculação, com declínio de 4 a 24h (p<0,01 em relação aos controles). O soro anti-muconativo não foi capaz de inibir a formação do edema nas diluições testadas, sem diferença estatística com o edema induzido pelo muco (p>0,05). O soro anti-mucoirradiado diluído 1:100 apresentou interferência significativa na atividade edematogênicanas primeiras quatro horas (p<0,01). O soro anti-mucoirradiado 1:1000 foi capaz de diminuir a formação de edema nas 1ª e 4ª horas (p<0,01). O edema foi reduzido pelo soro anti-mucoirradiado pré-incubado com o muco não irradiado (nativo). Conclusão: Esse resultado mostra que além do muco irradiado ser capaz de estimular a proliferação de células de memória, ou seja, a produção de anticorpos IgGespecíficos, estas imunoglobulinas são capazes de reconhecer a fração responsável pela atividade edematogênica. Estes resultados nos permite concluir que o processo de irradiação tornou o muco da raia P. aierebamais antigênico.
  • Resumo IPEN-doc 13117
    The lesson from snake venom: ion transport and glycolysis are couple through the pumping rate of the Na/KAT pase
    2007 - LIMA, V.M.F. de; HANKE, W.; CAMILLO, M.A.; SPENCER, P.; NASCIMENTO, N.